quarta-feira, 9 de junho de 2010

QUANDO FOR VELHINHA.

Quando for velhinha, viverei
uma longa temporada com
cada filho...

Lhes darei tanta felicidade!

Quero devolver toda a alegria
que eles me deram, retribuindo
e agradecendo cada coisa.

Oh! Ficarão tão emocionados!

Escreverei nas paredes com lápis
coloridos, saltarei sobre as camas
calçando sapatos.

Brincarei de casinha com todas as
cobertas da casa, beberei o leite
direto da caixa e entupirei o vaso
com papel- higiênico.

Quando estiverem ao telefone e não
puderem me ver, vou revirar todos
os lugares, caixotes, caixas e caixinhas.

Me apontarão o dedo e farão sinais
com a cabeça.
Farei cara de "não fui eu" e fingirei
estar ofendida.

Quando fizerem a comida, e me
chamarem para comer, demorarei
a ir, só para deixá-los nervosos.

Não comerei verdura.

Direi que a comida está ruim, engasgarei
com os cereais, derramarei a água, o suco
e também o leite na toalha da mesa.

Quando se aborrecerem, chorarei até que
se desesperem, hahahaha.

Quero só ver a cara deles!

Sentarei bem pertinho da TV, mudarei
de canal o tempo todo, colocarei no
programa que mais detestam e cruzarei
os dedos para ver se fico vesga.

Dái sairei sem desligar a TV!
hehehehehe

Antes de deitar irei tomar meu copo
de leite e deixarei a porta da geladeira
aberta as luzes acesa e meus sapatos
e meias no meio da copa.

Falarei ao telefone com minhas amigas
íntimas por cerca de meia hora com
cada uma, contando-lhes como estou
passando.

Buscarei quem faça tudo por mim e
como não pegarei as coisas no chão,
também não me importarei se alguém
tropeçar nos meus sapatos.

Se me pedirem um favor, lhes direi:
"JÁ VOU"!

Mais tarde, já na cama, vou me
espreguiçar, darei um suspiro,
cantarei minha canção preferida
e colarei minha goma de mascar
debaixo da cama.

Agradecerei a Deus com uma
oração e cerrarei os olhos.

Meus filhos vão me ver sorrindo,
sairão devagarzinho do quarto e
dirão, queixosos:

"É tão meiga quando está dormindo!"

Pergunto para mim mesma...

Acharão graça ou começarão a
procurar um lugar onde haja
outras mães, que fazem o mesmo
que eu?

Mas não importa...

O IMPORTANTE É QUE PUDE
DEVOLVER-LHES AS ALEGRIAS
QUE ELES ME DERÃO QUANDO
PEQUENOS!


(desconheço autoria).

Obs: caso alguém saiba quem é o autor(a),
avise-me para que possa dar os devidos
créditos.

33 comentários:

Lilá(s) disse...

Que encanto!
Bjs

Maria disse...

Amiga, excelente, adorei!
Quando for velhinha, espero sentir dentro do coração, que consegui ensinar aos meus filhos, a importância que a Vida têm, o respeito que devemos ter pelos outros e pela natureza e que, com amor no coração, conseguimos alcançar até as estrelas.
bjs do tamanho do infinito
Maria

Suziley disse...

Quando for velhinha serei jovem...hehe!! Lindo texto! Uma boa noite, Ana. Beijos no seu coração ;)

Multiolhares disse...

Não sei se eles vão achar graça, muitos nem vão dar tempo para isso acontecer, pois antes de levarem as mães para casa já as meteram em lares que de preferência seja bem longe para não as visitar, mas ainda bem que nem todos são assim
beijinhos

Linda disse...

Olá Amiga!
Será que eu vou ser assim?
Gostei imenso e até sorri ao ler este bonito texto. Gosto muito de passar por cá.
Beijinhos
Linda

Ivana Marisa Altafin disse...

Oi Ana,

Maravilha de texto, quando ficar velhinha, se DEUS assim permitir, e eu já ter cumprido minha missão,pretendo fazer alguns passeios. TEM UM SELO PARA VOCÊ, PASSE LÁ, UM ABRAÇO!

Anônimo disse...

OI Ana!
Lindo demais esse poema.
Espero chegar junto com você na velhice. Já pensou que velhinhas engraçadinhas seremos?
Beijos,
Fique com Deus.
Sua mana Denise

Pérola disse...

Muito legal,eu ameiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii.
Parabénssssss.
Beijokas e obrigado pelo carinho.

Sonhadora disse...

Minha querida Ana
Um lindo texto muito profundo...a mãe está fazendo o que já lhe fizeram.

Beijinhos com carinho
Sonhadora

Sandra disse...

Que fofo amiga. amei.. Quando eu for velhinha, quero ter toda a minha energia r viver mauito mais.
Curtir todoas as etapas dessa fase.
Lindo texto.
Sandra

Marlene Maravilha disse...

Tá muito engracado este post, infelizmente, ou felizmente? verdadeiro, mas a vida as vezes faz diferente.
Parabéns amiga pela premiacao e o selo! Este blog merece!
beijos e fica com Deus!

HSLO disse...

Super show esse texto.


abraços
de luz e paz.

Hugo

RETIRO do ÉDEN disse...

Antes quero ficar no meu cantinho, até DEUS me levar nas asas de um anjo...
Bjs.sinceros
Mer

legalmente loira... disse...

oi ana,
eu amei o texto!
quando for velinha( ou melhor ja estou assim rsrsrs)
mas quero tudo isto e muito mais.
adorei saber do mimo ainda mais vindo de uma amiga tão querida!
logo mais eu posto.
obrigada.
lindo dia com carinho e bjos meus...

Fernanda disse...

Amiga querida,

Que delícia....
Justamente voltar a ser criança e retribuir na mesma moeda com todo o amor.
Adorei.

Beijos.

Riff disse...

A velhice é inexorável...um dia ela chega.A nossa beleza externa é efêmera, fulgaz e passageira...hj em dia temos inumeros recursos p. neutralizar momentaneamente o processo de envelhecimento...Agora... vamo combinar, envelhecer é desistir da VIDA... A nossa alma a cada dia poderemos renova-la e enche-la de novos sonhos, ilusões e isto não envelhece. Eu procuro fazer este processo e acho que já estou com 08 anos de idade..kkkk. Amei o texto... impecavel e lindo. Bjitos mil

Everson Russo disse...

Simplesmente lindo,,,quando for velhinho eu farei tudo isso e muito mais....beijos de bom dia.

{♥Åññä Lµí§ä♥}_L€ØNARÐØ disse...

Volteiiiiiiiii para te oferecer
meu Selinho da Copa espero que goste:)

Lindo dia para você beijos
fica com Deus!

Zé Carlos disse...

Obrigado menina querida, pela visita, te espero sempre, vc é muito querida.

Bjs do ZC

Fatima Gouveia disse...

Lindo! Lindo!
Quando for velhinha quero ter o espírito jovem para me ajudar a percorrer o caminho que falta com alegria e lucidez.
Bjs
Mifá

Rosana Ibanez disse...

kkkk, adorei a idéia viu??
E assim nos sentiremos vingadas, com certeza!
Agora pergunto? será que eles vão ter a mesma paciência e dedicação que nós mães tivemos?? Com certeza não, pois como diz a frase:
"Uma mãe é para dez flha e dez filhos não é para uma mãe"
Beijos

Isa disse...

Furando o proibido e prometendo ter
cuidado nos próximos dias,venho dar-lhe um abracinho e dizer k o texto é mesmo um mimo!
Beijo.
isa.

Mauro S disse...

Oi Ana, que lindo texto, até ri em algumas ocasiões, outras até que não, pois lembrou meu pai em seus últimos momentos, mas foi um belo texto como todos que deixas aqui, beijos, Mauro

.•*♥*•.¸¸.• Sanzinha •.¸¸.•*♥*•. disse...

Ana,

Muito obrigada por se importar e por me deixar seus parabéns.
Agradeço de coração!

Beijo grande!

Jortas disse...

Espero que seja mesmo assim.
Quero que meus netos apreciem as histórias que inventei para a minha filha, Para eles inventarei outras,
Bjs

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Lindo,Ana. Mas que os filhos, esses sim,cuidem dos pais e avós. Beijos

Anne Lieri disse...

Aninha,sensacional esse texto!Muito legal!A vingança da mãe...rsss...Tá um show seu selinho novo!Bjs,

Hod disse...

Faltou uma coisa importante.
Vais poder contar a eles (filhos)as marcas que deixou "Pelos Caminhos da Vida".

Depois de 14 dias na Terras Mágicas de Minas, estou de volta ao Pampas do RS.

Beijo pra ti Ana.

Bloggirls disse...

É isso mesmo! Adorei o texto e ainda vou deixar a toalha molhada em cima da cama e mudarei de roupa 5 vezes e as deixarei jogadas no chão rs... Vim retribuir o beijo que nos deixou. Outro pra você e obrigada pela visita
Elaine Barnes

Stella Tavares disse...

Lindos caminhos,uma linda forma de retratar a vida, sua trajetória. Parabéns pela beleza e sensibilidade dos seus posts.
Bjs

Irene Moreira disse...

Ana
Gostei de ler ... quando for velhinha será que farei ... não sei!!!
Beijos

IT disse...

Oi amiga!

Com ajuda de Deus chegarei a velhice já até pedir a Ele.
Espero e desejo, findar minha vida bem velhinha.Viverei bem e feliz!
Antes porém,pretendo fazer,tudo isso que o texto fala.

Obrigada por seu carinho.

poetaeusou . . . disse...

*
num banco de jardim
uma velhinha
nunca mais estará sozinha,
o passado está ela !
,
in-ary,
,
conchinhas,
,
*