domingo, 3 de fevereiro de 2013

NETOS.



Netos são como heranças.
Você os ganha sem merecer.
Sem ter feito nada para isso.
De repente lhe caem do céu...

O neto é, realmente, o sangue do
seu sangue, filho do filho, mais
filho que filho mesmo...
"Os netos são filhos com açúcar".

Cinquenta anos, cinquenta e cinco...
Você sente, obscuramente, que o
tempo passou mais depressa do que
esperava. Não lhe incomoda envelhecer,
é claro. A velhice tem suas alegrias, as
suas compensações.

Todos dizem isso, embora você,
pessoalmente, ainda não as tenha
descoberto, mas acredita.

Todavia, também obscuramente,
sente que às vezes lhe dá aquela
nostalgia da mocidade.
Do tumulto da presença infantil ao
seu redor.

Meu Deus, para onde foram as suas
crianças?
Naqueles adultos cheios de problemas
que hoje são os filhos, que tem sogro e
sogra, cônjuge, emprego, apartamento
e prestações.
Você não encontra modo algum as suas
crianças perdidas.

São homens e mulheres adultos, não
são mais aqueles que você recorda.

E então, um belo dia, sem que lhe fosse
imposta alguma das agonias da gestação
ou do parto, o doutor lhe coloca nos
braços um bebê completamente grátis,
nisso é que está a maravilha.

Sem dores, sem choros, aquela criancinha
da qual você morria de saudades, símbolo
ou penhor da mocidade perdida.

Pois aquela criancinha, longe de ser um
estranho, é um filho seu que lhe é
devolvido.

E o espantoso é que todos lhe reconhecem
o seu direito de o amar com extravagância.

Ao contrário, causaria espanto, decepção
se você não o acolhesse imediatamente com
todo aquele amor recalcado que há anos se
acumulava, desdenhado, no seu coração.

Sim, tenho certeza de que a vida nos dá
netos para nos compensar de todas as
perdas trazidas pela velhice.

São amores novos, profundos e felizes,
que vêm ocupar aquele vazio, deixado
nostálgico pelos arroubos juvenis.
É quando vai embalar o menino e ele,
tonto de sono abre o olho e diz: "Vó",
seu coração estala de felicidade, como
pão no forno!


(Rachel de Queiroz).

Imagem: meu neto Gabriel.


Agradeço aos novos visitantes que vieram
do blog do amigo Dado, no qual quarta-
feira passada meu blog foi destaque, obrigado
Mazer Oliver, Paulo, Simone Prado, Vanderlei,
Elois, Vanderléia, Gracita, Yvonne, Gotic,
Edmunes, Helenita, Val, Ivaneuda e Denise,
tão logo o Gabriel(meu neto), deixar irei fazer uma visita
a cada um de vcs que passaram "Pelos Caminhos
da Vida", meu muito obrigada.

Vale a pena conhecer o blog do amigo dado:

http://c.v.c.zip.net/

6 comentários:

Anônimo disse...

Lindo o teu neto, tambem tenho o prazer de ser avó há 15 meses´ e é inexplicavel o amor gerado pelos netos, felicidades

Pedra do Sertão disse...

Lindo...daqui uns anos, com certeza, já estarei me inspirando assim...

Abraço do Pedra

isa disse...

Bom dia, querida Ana.
Mas é mesmo isso,parece que voltamos a ser Mães destes maravilhosos seres!
Que bênção!
Como está um encanto o Gabriel!
Semana iluminada!
Beijo.
isa.

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Marcinha
Não tenho netos, mas tenho um sobrinho/neto que é a minha paixão. Realmente ele é um presente de Deus.
Bjux

Rô... disse...

oi Ana,

o Gabriel está lindo,
e se filhos são presentes,
netos são uma festa surpresa completa...

beijinhos

Anônimo disse...


Vou ganhar minha primeira neta no proximo mes, mas a ficha ainda não caiu.... Minhas amigas estão mais entuasiasmadas do que eu, fazem mais planos do que eu, e eu... estou mais preocupada com minha filhinha, que sempre foi um doce, que todo mundo cuidou, mimou e agora vai ser mamãe... será que ela vai aguentar a barra ?

Às vezes me pego sonhando com roupinhas de bebê no colo... mas são momentos fugazes. Fico pensando se vou ser como as outras vovós, mimando netos, e não me vejo assim. Ainda a preocupação maior é com a futura mamãe, se ela vai ser uma boa mãe, se ela vai conseguir ser firme, quando precisar, etc. etc. etc.

Será que sou a única com cabeça assim ?

bjs.