terça-feira, 7 de dezembro de 2010


Somos as primeiras gerações
de pais decididos a não repetir
com os filhos, os erros de nossos
progenitores...

... e com o esforço de abolirmos
os abusos do passado...

... somos os pais mais dedicados
e compreensivos.

Ma, por outro lado...

... os mais bobos e inseguros que
já houve na história.

O grave é que estamos lidando com
crianças mais "espertas" do que nós,
ousadas, e mais "poderosas' que nunca!

Parece que, em nossa tentativa de
sermos os pais que queríamos ser,
passamos de um extremo ao outro.

Assim, somos a última geração de
filhos que obedeceram a seus pais...

... e a primeira geração de pais que
obedecem a seus filhos.

Os últimos que tivemos medo dos
pais...

... e os primeiros que tememos os
filhos.

Os últimos que cresceram sob o
comando dos pais...

... e os primeiros que vivem sob o
jugo dos filhos.

E, o que é pior...

... os últimos que respeitamos
nossos pais...

... e os primeiros que aceitamos que
nossos filhos nos faltem com o respeito.

À medida que o permissível substituiu
o autoritarismo, os termos das relações
familiares mudou de forma radical...

... para o bem e para o mal.

Com efeito, antes se considerava um
bom pai, aqueles cujos filhos se
comportavam bem, obedeciam suas
ordens, e os tratavam com o devido
respeito.

E bons filhos, as crianças que eram
formais, e veneravam seus pais, mas
à medida em que as fronteiras hierárquicas
entre nós e nossos filhos foram se desvanecendo...

...hoje, os bons pais são aqueles que
conseguem que seus filhos os amem,
ainda que pouco o respeitem.

E são os filhos, quem agora, esperam
respeito de seus pais, pretendendo de
tal maneira que respeitem suas ideias,
seus gostos, suas preferências e sua
forma de agir e viver.

E que além disso, que patrocinem
no que necessitarem para tal fim.

Quer dizer:
os papéis se inverteram.

Agora são os pais que têm que agradar
a seus filhos "ganhá-los" e não o inverso
como no passado.

Isto explica o esforço que fazem tantos
pais e mães para serem os melhores
amigos e "darem tudo" a seus filhos.

Dizem que os extremos se atraem.

Se o autoritarismo do passado encheu
os filhos de medo de seus pais...

... a debilidade do presente os preenche
de medo e menosprezo... aos nos verem
tão débeis e perdidos como eles.

Os filhos precisam perceber que durante
a infância, estamos à frente de suas vidas,
como líderes capazes de sujeitá-los quando
não os podemos conter...

... e de guiá-los, enquanto não sabem para
onde vão...

É assim que evitaremos que as novas
gerações se afoguem no descontrole e
tédio no qual está afundando uma
sociedade que parece ir à deriva, sem
parâmetros nem destino.

Se o autoritarismo a suplanta, o permissível
sufoca.

Apenas uma atitude firme, respeitosa, lhes
permitirá confiar em nossa idoneidade para
governar suas vidas enquanto forem menores,
porque vamos à frente liberando-os...

e não atrás, carregando-os e rendidos às
suas vontades.

Os limites abrigam o indivíduo com amor
ilimitado e profundo respeito.


(Mônica Monastério).


Fonte da imagem:

http://www.google.com.br

29 comentários:

Vânia Morais :D disse...

vim deixar meu recadinho com carinho bjssssssssss mil no coração

Vivian disse...

Olá!!Bom Dia!!

Ótimo post!!Como mãe de dois filhos, um de 9 anos e uma menina de 3 anos, percebo bem a dificuldade que se encontra hoje em educar os filhos!!A maioria dos pais estão despreparados, nem se dão conta da enorme responsabilidade de educar uma criança!!Esquecem que os limites são o porto seguro das crianças, onde elas sabem que são amadas e protegidas! Sem contar que hoje as crianças recebem muito mais informações, se os pais não lêem e procuram aprender, acabam ficando para trás!!Os filhos tem muitos argumentos! Precisamos estar sempre a frente!!
Ser pais não é fácil!!Mas em compensação hoje também existe muito mais informação, procurando achamos uma ajuda para educar nossos filhos, com limites e valores tão necessários!!
Sem exageros!! Nem demais, nem de menos!!
Nossa!Desculpe o discurso !
Adorei seu blog!
Se puderes visite o meu, será muito bem vinda!
Atenciosamente
vivian-floreselivros.blogspot.com

Valter Montani disse...

Educar filhos não é tarefa tão simples, eu procuro ser linha dura com o meu.
Mas eu não consigo ser duro 24 horas por dia, então vem as recaídas e o meu palhaço interio vem a tona, daí as coisa tendem a ir por água abaixo.
Graças a Deus meu filho tem uma boa cabeça, melhor que a minha, espero que ele seja um bom homem.



Escrevi um texto sobre Ritual de Paixão (Amor Vampiro) se quiserem ler, de uma expiada, bjs e bom dia.

Everson Russo disse...

Na vida tem que haver limites pra tudo,,,um grande beijo de bom dia pra ti querida.

Luzia Medeiros disse...

Olá desculpa pela cor da letra do texto que escrevi, prometo que vou mudar, rsrsrs

Bergilde Croce disse...

Ótima reflexão,Anna!Educar com limites é uma difícil,mas essencial tarefa para o progresso pessoal de nossos filhos.
Meu abraço,Bergilde

Wanderley Elian Lima disse...

Oi Ana
Seus textos sempre nos trazem uma lição de vida.
Bjux

Flor da Vida disse...

Mais um expressivo e rico texto! Verdades inquestionáveis. Amiga, deixo carinhos pra ti... Bjsss

Guará Matos disse...

Ser pai... Ufa, mas tem jeito.
Bjs.

Nina disse...

Lindo o post! Tá de parabéns!


Te desejo uma ótima terça!

bjos

JOANA CAMPOS disse...

Esse texto é muito verdadeiro amiga....TÁ TUDO MUDADO...agente muito sem rumo...e filhos muito cheios de querer....

Aff

Beijos

Joana Campos

Nilce disse...

Excelente texto e muito verdadeiro Ana.
Tenho medo do que pode acontecer com meus netos, porque os meus filhos foram criados no meio termo dessas duas fases.
Aprenderam a respeitar os pais e a todos sem o uso da violência desmedida. Com muito amor, carinho e conversa, e mesmo assim por muitas vezes me surpreendo com certas revoltas deles agora já adultos.
Dei-lhes limites e liberdade suficientes, e acho que o que acontece nos dias de hoje com as crianças é inaceitável.
Os valores passados aos meus lhes foram de muita valia, mas acho que abusam um pouco da minha corujice. rsrs

Bjs no coração!

Nilce

Rolando disse...

OI. TUDO BLZ? ESTIVE AQUI. MUITO LEGAL. CONCORDO COM VC EM PARTE. APAREÇA POR LÁ. ABRAÇOS.

Eliane Gonçalves disse...

Muito interessante....eu não tenho filhos ainda, mas observo na minha família que é bem isso que acontece...

Bjos,

Eli.

Zil Mar disse...

Oi Ana....mais um belo post...de grande sabedoria!

Tem um selinho pra vc no meu blog...passa lá querida!

bjos e meu carinho sempre!!!

Zil

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Passei para deixar um beijinho grande e amigo :)

Isa mar disse...

É amiga, eu tenho visto muitos pais sendo controlados pelos filhos, inclusive uma grande amiga minha, mas não adianta falar, eles parecem que não enxergam que não dão um passo sem antes o filho "decidir" o que é pra fazer
Graças á Deus aqui em casa há muito respeito nessa parte, afinal tem muito diálogo, mas temos sempre que deixar bem claro os limites
Ótima reflexão para muitos pais
Beijos no coração!

ONG ALERTA disse...

Filhos sáo presentes...beijo Lisette.

Cris Tarcia disse...

Ana, lindo , lindo

Beijos

Erico disse...

Oiê!

Eu sou um desses pais bobos e inseguros, mas graças a Deus meus dois filhos são carinhosos e obedientes, apesar da diferença de idade (12/20). Posso garantir que são do bem!!
Já soube de muitos casos, inclusive de filhos que batem nos próprios pais e os tratam como uma velha "chocadeira"!
Um belo texto para reflexão!

Beijos :)

*Mi§§ §impatia* disse...

Por isso que o mundo hoje em dia tá como tá, pq muita gente não tem mais limites.......
Beijos amiga.

Apocalipse2011 disse...

Parabéns pelo belo espaço, adorei e vou voltar. Conheça o meu, tô chegando agora... Bjs.

Anne Lieri disse...

Aninha,excelente texto para reflexão!Deveriam levar para as reunióes de pais nas escolas e discutir no começo do ano.Sinto cada dia mais os pais despreparados,desorientados para educar!Adorei!Bjs,

Socorro disse...

As crianças de hoje, estão com tudo, se acham... Eles não tem medo de nada!
No passado, tudo era diferente, os filhos obedeciam aos pais, hoje os papeis inverteram.


Paciência, né?
Beijos...

gabyshiffer disse...

Educar tb é dar limites e isso as vezes não é a coisa mais gostosa a fazer mas fazer oq neh
:)
Ai amiga que bom que vc encontrou o que precisava no meu blog
fiquei feliz...
fiz com carinho e esperando poder ajudar a quem precisava de dicas para arrumar a mesa e fazer as receitas que sempre fazem a diferença na hora da ceia quando são feitas por nós...rs
Eu adoro cozinhar e vivo experimentando receitas novas e muitas daquelas eu já fiz.
O panetone, o pernil, os cookies
ai eh muito bom!
Obrigada pelo carinho da sua visita
:)
Beijos na alma!

"A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade" (Carlos Drummond de Andrade)

Martinha disse...

Os limites mostram até onde a nossa acção pode ir. Por vezes é bom superá-los, mas há momentos em que não devemos fazê-lo.
Gostei! :)
Beijo *

Flor de Lótus disse...

Oi,Ana!Verdade incontestável isso.Com certeza as ciranças são muito mais inteligentes do que nós eramos e elas tem feito gato e sapato com seus pais, precisamos de pais de verdade e não de melhores amigos..
Beijos

Marianna disse...

Olá! Obrigada pelo recado lá no blog. Passei aqui para te conhecer e desejar boa semana. bjs

IT disse...

"Os limites abrigam o indivíduo com amor,ilimitado e profundo respeito."

Esta frase fechou com propriedade o que chamamos de respeito.LIMITE!

Exatamente isso amiga, limite aos nossos filhos, e Deus no controle,só assim haverá respeito.

Bejim bejim ÁGUIA mãe amiga de IT♥