quarta-feira, 19 de novembro de 2008

CANÇÃO DAS MULHERES.

Que o outro saiba quando estou com medo, e me
tome nos braços sem fazer perguntas demais.
Que o outro note quando preciso de silêncio
e não vá embora batendo a porta, mas entenda
que não o amarei menos porque estou quieta.
Que o outro aceite que me preocupo com ele
e não se irrite com minha solicitude,
e se ela for excessiva saiba me dizer isso
com delicadeza ou bom humor.
Que o outro perceba minha fragilidade e não ria
de mim, nem se aproveite disso.
Que se eu faço uma bobagem o outro goste
um pouco mais de mim, porque também
preciso poder fazer tolices tantas vezes.
Que se estou apenas cansada o outro não pense
logo que estou nervosa, ou doente, ou agressiva,
nem diga que reclamo demais.
Que o outro sinta quanto me dói a idéia da perda,
e ouse ficar comigo um pouco - em lugar de
voltar logo à sua vida, não porque lá está a sua
verdade mas talvez seu medo ou sua culpa.
Que se começo a chorar sem motivo depois de
um dia daqueles, o outro não desconfie logo que
é culpa dele, ou que não o amo mais.
Que se estou numa fase ruim o outro seja meu
cúmplice, mas sem fazer alarde nem dizendo
"Olha que estou tendo muita paciência com você!"
Que se me entusiasmo por alguma coisa o outro
não a diminua, nem me chame de ingênua, nem
queira fechar essa porta necessária que se abre
para mim, por mais tola que lhe pareça.
Que quando sem querer eu digo uma coisa
bem inadequada diante de mais pessoas,
o outro não me exponha nem me ridicularize.
Que quando levanto de madrugada e ando pela
casa, o outro não venha logo atrás de mim
reclamando: "Mas que chateação essa sua mania,
volta pra cama!"
Que se eu peço um segundo drinque
no restaurante o outro não comente logo:
"Pôxa, mais um?
"Que se eu eventualmente perco a paciência,
perco a graça e perco a compostura,
o outro ainda assim me ache linda e me admire.
Que o outro - filho, amigo, amante, marido
- não me considere sempre disponível, sempre
necessariamente compreensiva, mas me aceite
quando não estou podendo ser nada disso.
Que, finalmente, o outro entenda que mesmo
se às vezes me esforço, não sou, nem devo ser,
a mulher-maravilha, mas apenas uma pessoa:
vulnerável e forte, incapaz e gloriosa, assustada
e audaciosa - uma mulher.
Que possamos continuar a nossa caminhada
com toda a garra que sempre tivemos.


(Lya Luft).

24 comentários:

Isa disse...

Como entendo estas palavras,Aninha.
Quantas vezes dou comigo a pensar dessa maneira...
Doce beijinho.
Um bom dia.
isa.

neli araujo disse...

Aninha, minha querida!

Eu adoro a Lya Luft!
E este texto Canção da Mulheres é maravilhoso!
Eu até postei no Dia Internacional das Mulheres, porque acho que tem que ser divulgado sempre!
Parabéns pela escolha, Aninha!
Lindo, lindo, lindo!

Um beijo carinhoso no seu coração sensível,amiga!

Neli

Rubinho Osório disse...

Grande Lya!!!
Difícil tarefa para nós, homens, pobres mortais!!!

carmen disse...

Ana,
que lindo texto!!!
A Lya Luft é mesmo excelente...

Nós mulheres, muitas vezes não nos compreendemos, mas queremos que o outro nos compreenda!!! Ou nos aceite incondicionalmente...

Trabalho este hercúleo... rsrsrs

bjs

Águas de Março disse...

É uma delícia vir aqui. paalavras doces, suavidade...e poesia.
beijos

AneteMG disse...

Oi! Bom dia Ana!
Poema bem sonhador!!!
Como é bom sonhar!!!
Que seu dia seja de sonhos realizados!
Desculpe andar sumida, mas muito trabalho!
Bjos
Anete

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Olá
Obrigada pela visita. Volte quando quiser, a casa é sua, amiga da Vanuza, amiga minha é!
Adorei seu espaço, esteja certa que voltarei;
beijo e luz

FRAN "O Samurai" disse...

Oi Ana!

Grande texto sobre a necessidade de toda mulher...

Um relacionamento não é feito só de convivência. Vai além disso... É feito de companherismo, dedicação, diálogo, saber escutar e falar com a pessoa, ensinar e aprender com ela, amar sem sufucar, dar e receber carinho, estar sempre junto na tristeza e na felicidade, procurar ajudar sempre que houver necessidade, dizer sempre o que te deixa chateada, saber admitir quando errou pois ninguém é perfeito, ser verdadeiro, ser fiel e amar intensamente.

Isso tudo chama-se "RESPEITO".

Respeito é a melhor palavra sobre seu texto.

Respeitar nossas vontades, nosso espaço, nosso tempo.

Adoro ler palavras assim.

Beijo.

kris disse...

aqui fica um beijinho meu:)) e um bom dia

Angela Guedes disse...

Lya Luft, sempre com seus textos incríveis.
Vejo-me em muitos momentos, desta canção.
"- não me considere sempre disponível, sempre
necessariamente compreensiva, mas me aceite
quando não estou podendo ser nada disso.
Que, finalmente, o outro entenda que mesmo
se às vezes me esforço, não sou, nem devo ser,
a mulher-maravilha, mas apenas uma pessoa:
vulnerável e forte, incapaz e gloriosa, assustada
e audaciosa - uma mulher".
Difícil isso!!!
Beijos e um otimo dia Ana.

O Profeta disse...

Ufff...será que tem que ser assim...?!


Doce beijo

Luciana disse...

Oi Amiga!

Que linda postagem,parabéns ótima escolha.

Bjs

Claudia Goulart disse...

Nunca li um livro da Lya Luft, só ouvi falar coisas sobre a vida dela e parece uma pessoa admirável por toda a trajetoria de vida.
Esse poema é bem legal.
bjs

Moni disse...

eu adoro esse texto!! amo as palavras que tem nele!! beijossss e otimo restinho de tarde amiga!

Edna Federico disse...

Adorei vir aqui hoje e ler um pouco de Lya Luft.
Beijo

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Ana, maravilhodsas palavras... Gostei muito...Beijinhos Amiga,
Fernandinha

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Ana, maravilhodsas palavras... Gostei muito...Beijinhos Amiga,
Fernandinha

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

O que todas nós queremos é que nos aceitem sem que nos esqueçamos que precisamos aceitar os outros,também...

Beijos,Sonia Regina.

Gilbamar disse...

Lya Luft é sempre uma citação de extraordinário bom tom, em especial essa mensagem tão singela e arrebatadora.

Deixo meu fraterno abraço amigo.

Cleo disse...

Que possamos continuar a nossa caminhada
com toda a garra que sempre tivemos.

lindo texto da Lia Luft

Passei prá te deixar um beijo.
Cleo

Taís disse...

Grande Lya Luft!
Qual é a mulher que não pensa exatamente assim?
Bjinhos

Anita disse...

Estive por aqui para ter oferecer flores com o aroma de felicidade e desejar-te um lindo dia abençoado.

Que lindo post.
Beijinhos.
Fica bem. Fica com Deus.
Anita (amor fraternal)

Olhos de mel disse...

Oie lindinha! Amei essa canção! Que a luta pela felicidade se transforme em realização.
Beijos

SAM disse...

Eu adoro este texto de Lya...E me fez um bem enorme em reler tudo isso, porque posso dizer que tenho por completo este "outro", mas por ser tão comum e natural a ele, que me esqueço de ver esta bela proximidade e valorizar, como deveria. Obrigada, Ana!

Beijos