sábado, 26 de julho de 2008

AS MÁSCARAS.

O teu beijo é tão doce, Arlequim...
O teu sonho é tão manso, Pierrô...

Pudesse eu repartir-me
encontrar minha calma
dando a Arlequim meu corpo...
e a Pierrô, minha alma!

Quando tenho Arlequim,
quero Pierrô tristonho,
pois um dá-me prazer,
o outro dá-me o sonho!

Nessa duplicidade o amor todo se encerra:
Um me fala do céu...
outro fala da terra!

Eu amo, porque amar é variar
e , em verdade, toda razão do amor
está na variedade...

Penso que morreria o desejo da gente
se Arlequim e Pierrô fossem um ser somente.

Porque a história do amor
só pode se escrever assim:
Um sonho de Pierrô
E um beijo de Arlequim!

Clarice Lispector.

5 comentários:

Fernando Rodrigues disse...

Muito bonito

Bjus

Florescer disse...

Adoro as palavras de Clarice. E quando se encontra em um Ser o Arlequim e o Pierrô - é a realização do ideal de amor.
Gostei do seu espaço. Virei mais vezes.
Obrigada pela visita no meu florescer.
Jacinta

MARY TRADUZIR-SE disse...

TBÉM AMO CLARICE LISPECTOR.OBRIGADA PELA VISITA.ESTÁ ADD EM MEUS BLOGS FAVORITOS.BJOS

Odilson disse...

VC sempre romantica, catando pequenos versos daqui e dali...

Karen disse...

Adoro os poemas dela...verade, nunca encontramos tudo em um só ser...