terça-feira, 14 de outubro de 2014

SOU PROFESSOR.





Sou professor. 
Nasci no momento exato em que uma pergunta saltou da boca de uma criança. Fui muitas pessoas em muitos lugares.

 Sou Sócrates, estimulando a juventude de Atenas a descobrir novas idéias através de perguntas. 

Sou Anne Sullivan, extraindo os segredos do universo da mão estendida de Helen Keller. 

Sou Esopo e Hans Christian Andersen, revelando a verdade através de inúmeras histórias. 

Sou Marva Collins, lutando pelo direito de toda a criança à Educação. 

Sou Mary McCloud Bethune, construindo uma grande universidade para meu povo, utilizando caixotes de laranja como escrivaninhas. 

Sou Bel Kauffman, lutando para colocar em prática o Up Down Staircase. 

Os nomes daqueles que praticaram minha profissão soam como um corredor da fama para a humanidade... 

Booker T. Washington, Buda, Confúcio, Ralph Waldo Emerson, Leo Buscaglia, Moisés e Jesus. 

Sou também aqueles cujos nomes foram há muito esquecidos, mas cujas lições e o caráter serão sempre lembrados nas realizações de seus alunos. 

Tenho chorado de alegria nos casamentos de ex-alunos, gargalhado de júbilo no nascimento de seus filhos e permanecido com a cabeça baixa de pesar e confusão ao lado de suas sepulturas cavadas cedo demais, para corpos jovens demais. 

Ao longo de cada dia tenho sido solicitado como ator, amigo, enfermeiro e médico, treinador, descobridor de artigos perdidos, como o que empresta dinheiro, como motorista de táxi, psicólogo, pai substituto, vendedor, político e mantenedor da fé. 

A despeito de mapas, gráficos, fórmulas, verbos, histórias e livros, não tenho tido, na verdade, nada o que ensinar, pois meus alunos têm apenas a si próprios para aprender, e eu sei que é preciso o mundo inteiro para dizer a alguém quem ele é. 

Sou um paradoxo. É quando falo alto que escuto mais. Minhas maiores dádivas estão no que desejo receber agradecido de meus alunos. 

Riqueza material não é um dos meus objetivos, mas sou um caçador de tesouros em tempo integral, em minha busca de novas oportunidades para que meus alunos usem seus talentos e em minha procura constante desses talentos que, às vezes, permanecem encobertos pela autoderrota. 

Sou o mais afortunado entre todos os que labutam. A um médico é permitido conduzir a vida num mágico momento. 

A mim, é permitido ver que a vida renasce a cada dia com novas perguntas, idéias e amizades. Um arquiteto sabe que, se construir com cuidado, sua estrutura poderá permanecer por séculos. 

Um professor sabe que, se construir com amor e verdade, o que construir durará para sempre. 

Sou um guerreiro, batalhando diariamente contra a pressão dos colegas, o negativismo, o medo, o conformismo, o preconceito, a ignorância e a apatia. 

Mas tenho grandes aliados: Inteligência, Curiosidade, Apoio paterno, Individualidade, Criatividade, Fé, Amor e Riso, todos correm a tomar meu partido com apoio indômito.(...) E assim, tenho um passado rico em memórias. 

Tenho um presente de desafios, aventuras e divertimento, porque a mim é permitido passar meus dias com o futuro. Sou professor... e agradeço a Deus por isso todos os dias. 


(John W. Schlatter).




6 comentários:

✿ chica disse...

Parabéns aos professores! Merecem respeito e carinho! bjs, chica

Wanderley Elian Lima disse...

Parabéns a todos nós. Belo texto.
Bjux

Santa Cruz disse...

Amiga: Amei ler gostei.
Beijos
Santa Cruz

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida Ana
Com a nossa vocação, somos mais do que felizes...
Bjm fraterno

C@urosa disse...

Belo texto e bela homenagem para todos nós, obrigado.

forte abraço
c@urosa

Menina do Rio disse...

Mestre é Mestre, assim tenho dito. Beijos