quinta-feira, 21 de julho de 2011

O PESO QUE A GENTE LEVA.


O perigo da viagem mora nas malas.
Elas podem nos impedir de apreciar
a beleza que nos espera.

Experimento na carne a verdade das
palavras, mas não aprendo.
Minhas malas são sempre superiores
às minhas necessidades.

É por isso que minhas partidas e chegadas
são mais penosas do que deveriam.

Ando pensando sobre as malas que
levamos...
Elas são expressões dos nossos medos,
Elas representam nossas inseguranças.

Olho para o viajante com suas imensas
bagagens e fico curioso para saber o que
há dentro das estruturas etiquetadas.

Tudo o que ele leva está diretamente
ligado ao medo de necessitar.
Roupas diversas: de frio, de calor- o
clima pode mudar a qualquer momento!

Remédios, segredos, livros, chinelos,
guarda-chuva- e se chover?
Cremes, sabonetes, ferro- elétrico-
isso mesmo!
Microondas? - Comunique-me, por
favor, se alguém já ousou levar.
O fato é que elas representam nossas
inseguranças.

Digo por mim- sempre que saio de casa
levo comigo a pretensão de deslocar o
meu mundo.
Tenho medo do que vou enfrentar.

Quero fazer caber no pequeno espaço a
totalidade dos meus significados.
As justificativas são racionais.

Correspondem ás regras do bom senso,
preocupações naturais para quem não
gosta de viver privações.

Nós... nos justificamos.
Posso precisar disso, posso precisar
daquilo...

Olho ao meu redor e descubro que as
coisas que quero levar não podem ser
levadas.
Excedem os tamanhos permitidos.

Já imaginou chegar no aeroporto
carregando o colchão para ser despachado?

As perguntas são muitas...
E se eu tiver vontade de ouvir aquela
música?
E o filme que costumo ver de vez em
quando, como se fosse a primeira vez?

Desisto, pego o que posso no espaço
delimitado para minha partida e vou.
Vez em quando me recordo de alguma
coisa esquecida, ou então, inevitavelmente
concluo que mais da metade do que eu
levei não me serviu pra nada.

É nessa hora que descubro que partir é
experiência inevitável de sofrer ausências.
E nisso mora o encanto da viagem.

Viajar é descobrir o mundo que não temos,
É o tempo de sofrer a ausência que nos
ajuda a mensurar o valor do mundo que
nos pertence.

E então descobrimos o motivo que levou
o poeta a cantar"Bom é partir, Bom mesmo
é poder voltar!"
Ele tinha razão, a partida nos abre os olhos
para o que deixamos.

A distância nos permite mensurar os espaços
deixados.
Por isso, partidas e chegadas são instrumentos
que nos indicam quem somos, o que amamos
e o que é essencial para que a gente continue
sendo.

Ao ver o mundo que não é meu eu me reencontro
com desejo de amar ainda mais o meu território.
É consequência natural que faz o coração querer
voltar ao ponto inicial, ao lugar onde tudo começou.

É como se a voz identificasse a raiz do grito, o
elemento primeiro.
Vida e viagens segue as mesmas regras.
Os excessos nos pesam e nos retiram a vontade
de viver.

Por isso é tão necessário partir.
Sair na direção das realidades que nos ausentam.
Lugares e pessoas que não pertencem ao contexto
de nossas lamurias...
Hospitais, asilos, internatos...

Ver o sofrimento de perto, tocar na ferida que
não dói na nossa carne, mas que de alguma
maneira pode nos humanizar.

Andar na direção do outro é também fazer
uma viagem.
Mas não leve muita coisa não tenha medo
das ausências que sentirá.

Ao adentrar o território alheio, quem sabe
assim os seus olhos se abram para enxergar
de um jeito novo o território que é seu.

Não leve os seus pesos, eles não lhe permitirão
encontrar o outro.
Viaje, leve, leve, bem leve.
Mas se leve.


(Padre Fábio de Melo).

Fonte da imagem:

http://www.google.com.br

28 comentários:

ELIANA-Coisas Boas da Vida disse...

LINDO TEXTO AINDA NÃO TINHA VISTO UM TEXTO TÃO ORIGINAL, REALMENTE LEVAMOS BAGAGEM DEMAIS PELA VIDA AFORA!!

BEIJO

Nina Pilar disse...

Amigos um belo dia do amigo pra vcs... na musica do milton nascimento e fernando brant a belíssima _Canção da América_, nada pode representar melhor um amigo e a sua importância...

Canção da América

Amigo é coisa pra se guardar
Debaixo de sete chaves,
Dentro do coração,
assim falava a canção que na América ouvi,
mas quem cantava chorou ao ver o seu amigo partir,
mas quem ficou, no pensamento voou,
com seu canto que o outro lembrou
E quem voou no pensamento ficou,
com a lembrança que o outro cantou.
Amigo é coisa para se guardar
No lado esquerdo do peito,
mesmo que o tempo e a distância, digam não,
mesmo esquecendo a canção.
O que importa é ouvir a voz que vem do coração.
Pois, seja o que vier,
venha o que vier
Qualquer dia amigo eu volto a te encontrar
Qualquer dia amigo, a gente vai se encontrar.

depois disso é esperar que nossos corações emocionem-se com nossas amizades como emocionamo-nos qdo ouvimos esta declaração de amor, tão maravilhosamente interpretada na voz do meu querido milton nascimento.

e esperar que cada um de nós escute o que fala o nosso coração...ate pq tudo que eu queria dizer eles já falaram, faço minha a voz deste gigante da nossa musica.

beijinhos queridos um belo dia do amigo todos...
Rascunhos2

Rô... disse...

oi Ana,

sempre aprendendo,
o desprender-se de coisas,
parece sempre nos pesar realmente,
devemos aprender a nos adaptar,
em qualquer lugar, de qualquer maneira...

leves1
beijinhos minha linda

isa disse...

Há,penso eu,neste belíssimo texto,2
espécies de bagagem!
Gostei mt de ler e de ir observando!
Beijo.
isa.

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Não é bem meu caso,sempre levo pouca bagagem. Só o coração vai cheio.Beijos.

Lau Milesi disse...

Olá Ana, concordo plenamente com o padre Fábio. Em muitas ocasiões, nos preocupamos com o peso das malas e não nos detemos nos conteúdos.
Tá tudo bem com você?

Um beijo e tudo de bom.

Bixudipé disse...

Belas palavras do Padre Fábio.
Adorei a postagem.

Abração.

Impulsiva disse...

O Pe. Fábio é muito inteligente e escreve com uma sabedoria incrível ao falar das pessoas e suas angústias. Quem não sentiu alguma dessas coisas que ele mencionou nem que seja alguma vez na vida? Apesar de não ser católica, o admiro muito como homem sábio que é. Linda e reflexiva mensagem.

Estava com suadades de muitos amigos que fiz no blog e deixei de visitar.
Beijos,
Kenia.

Néia Lambert disse...

Conheço vários textos do Pe. Fábio, mas nesse ele foi de uma sabedoria sem igual! Quanto ensinamento nessa arte do desapego. Parabéns pelo post, acredito que de todos que já li por aqui, esse é, sem dúvida, um dos mais bonitos.

Beijos

AFRICA EM POESIA disse...

Dia do AMIGO foi ontem mas para mim será todos os dias...


Um beijinho

Lis disse...

Oi Ana
Saudade de voce!demorei voltar porque andava com pouca concexão, agora já em casa tudo voltou ao normal e posso visitar melhor os amigos.
Voce é sempre especial, nunca esqueço da amiga.
Falando em mala a minha ainda está pra ser desfeita rs e o poema vem muito a calhar rs preciso rever minhas inseguranças.
um abraço amiga
fica bem e que Deus te abençoe ricamente todo dia.

Martinha disse...

Que lindo texto! :) Viajar é realmente abrir os nossos horizontes àquilo que de novo podemos viver. É partir, descomprometidamente. Daí que faça tão sentido a frase "É bom partir, voltar é ainda melhor" :)
Beijo *

Pensamentos Positivos disse...

Nossa, seu texto é simplesmente maravilhoso, e verdadeiro. Nunca tinha parado pra pensar nisso e é realmente verdade....
O final então, me fez refletir sobre as inseguranças de entrar em relacionamentos, de confiar nas pessoas, talvez, tudo seja apenas, minhas bagagens antigas, que precisam ser deixadas para que eu possa carregar outras...
Foi muito bom estar aqui e ler esse texto =D
Abraços e beijos

♪ Sil disse...

Minha querida,

Eu já despejei metade da minha mala pelo caminho.

Estou mais leve, como tem que ser!

Eu adorooooooooooo as palavras do Pe Fabio, me dão paz.

Espero que tudo se resolva ai!

DEUS É MAIOR

Um beijo

Ao toque do Amor disse...

Olá! vim, te oferecer o selinho do dia do amigo e dizer que sua amizade é muito importante pra mim
com o meu carinho
san

♫*Isa Mar disse...

Oi Ana, com certeza levamos muitos pesos desnecessários, saibamos nos livrar deles para tornar nossa vida mais leve.
Beijos e bom dia!

Everson Russo disse...

Belo demais o texto,,,o que a gente precisa fazer é aliviar boa parte desses pesos da vida...beijos de bom final de semana.

Majoli disse...

Querida, vim saber como está tudo por aí?
Desejo de coração que esteja tudo melhor.
Estás em minhas orações, e sua filha também.

Lindas palavras de Pe. Fábio de Melo.
Tenha um delicioso dia.
Beijos com muito carinho no teu coração.

Jorge Luiz disse...

Belo texto!!

Evanir disse...

Não tenho medo,tenho fé
O fato de estar avisando na postagem
meus problemas é para evitar criticas
destruitivas como já aguentei.
E tudo que menos quero
é me afastar de vocês .
Até havia prometido a um grande amigo
não postar nada sobre problemas meus.
Como levo tudo muito a serio minhas amizades virtuais
que são mais que reais.
Me deixa ama-los como vocês merecem ..
Não quero me isolar magoar a mim mesma,
e pessoas querida.
Para quem não sabe existe uma campanha
na net contra levar cola nas visitas por esse
motivo me explico tanto.
Minha unica pergunta que fiz ao médico
se eu não poderia teclar após o procedimento
cirurgico..Ele disse que essa era a
unica coisa que poderia fazer depois de ter
explicado como iria usar meu teclado.
Como disse na postagem essa será a ultima
que fasso para dar explicações ..Se fiz isso foi por
não conseguir viver londe de vcs.
Deus abençoe o seu final de semana beijos
no coração,Evanir.

Gaby disse...

Olá,
é um prazer ter vc lá no bloguinho, volte quando quiser.

Bjs e bom fim de semana.

CYWMARA WADISQUY disse...

ADORUUUUU ESSE TEXTO DO PRADRE FABIO!!! rsr enfim ele me faz lembrar de alguem que conheço muito (EU) rsr adoreii o blog visse

XEROO LINDAAA

http://cywmara.blogspot.com
te seguindo me segue?

Viviana disse...

Querida Ana linda

Sábio, este Padre...

Quanta coisa carregamos de que nunca iremos precisar!

Afinal...para fazer a nossa viagem por aqui, é preciso muito pouco.

Carregados, sim, mas de AMOR E COMPREENSÃO.

Um beijo e obrigada pela partilha

Viviana

Cristiane Félix disse...

Oi Ana,vim correndo conhecer seu blog e pode ter certeza que estou encantada. Além do visual ser lindo,o que não falta por aqui é conteúdo.
Vou estar sempre por aqui lendo e relendo. Adoro ler...
Obrigada pela visita e volte sempre, vou adorar te ter sempre no blog. Eu já vou ficando por aqui pra não te perder de vista.
Bom fim de semana.
Abraço carinhoso.
Cris

C@urosa disse...

Que belo texto minha amiga, pelos "caminhos da vida" devemos viajar sempre com a alma leve, muito bom!Parabéns pela qualidade de sempre.

forte abraço

C@urosa

Beth Salvia disse...

Nooossa que lindo hein menina!
Obrigada por ter gostado to seguindo seu blog vamos fazer essa parceria, bom final de semana querida, bjssssssssss

ONG ALERTA disse...

É amiga as vezes nós mesmas colocamos pesos demais em nossas vida, precisamos aprender a desapegar...
Beijo Lisette.

Mônica disse...

Ana
Eu até tinha esquecido este texto de Padre Fabio de Melo. Muito interessante.
Mas sabe! Quando fomos pra europa meu cunhado é maniado com panelas. Ele comprou um monte e quando chegou no aeroporto a moça foi tirando as roupas e colocando num saco.
Nós então colocavamos nas nossas malas.
E assim deu certo. Mas foi o maior mico!
com carinho Monica